03 junho, 2008

O poeta maldito...


(...)
9. Da Preparação do Epitáfilo
Bem sei: não te conformas com o pouco
de todos os homens. E buscas o poema.
E tendo em tuas mãos o papel e a pena
refazes a vida. E nunca está perdida
em ti canção.
Habitas tua sombra e permaneces fiel.
E podes fugir no dorso de um verso.
Quanto ao mais é ir vivendo.
E restaurando com amor
o áspero chão.
(...)
"Breve Romance do Cavaleiro
e Poeta José Alcides Pinto
Mensageiro do Reino de Lúcifer"
- Artur Eduardo Benevides - O Viajante da Solidão -
In Os Amantes - Poesia - José Alcides Pinto

2 comentários:

Isabela disse...

Ele tinha alma limpa, linda, pura. Capaz de ver o que nao vemos... vivia num universo dele, fantasiado, fantastico, literario, poético.

Saudades ficam e leituras também!

O que me conforta é saber que agora ele encontrou o lugar dele.

bjs

luana disse...

Ahh, "meu poeta querido" era assim que ele gostava de ser chamado... "meu poeta querido do coração" Rsrs. Você está deixando uma saudade imensa... a sua ausência me incomoda e o fato de saber que não vou mais escutar as sua estórias (suas poesias a cada ligação... Para saber - Como o Senhor, quero dizer: Como você est? doe o meu coração.

Saudades do meu poeta querido e "maldito".

Luana Lima