21 novembro, 2007

Indicações Musicoliterárias

Sylvia Plath


Num Brasil tão averso à poesia, sou um leitor de poesia. Conheço (pessoalmente) outras duas pessoas que apreciam poesia e mais outras três que escrevem poesia, ou seja, somos seis desgraçados vivendo como anormais. Claro: há muito mais por aí: somos milhões. Talvez esteja sendo mui trágico com meu discurso, mas percebam quantas editoras publicam poetas e, quando estiverem circulando nas livrarias (que não são tantas), atenção às prateleiras que guardam Manuel Bandeira, Ferreira Gullar, Fernando Pessoa etc. Verão que para ambas poderemos usar as mãos para contar. No entanto não precisamos ser (sequer) parecidos. Estes já estão bem guardados no "O Homem Medíocre", de José Ingenieros. É por isso que não me constrange em nada alardear que a nova tradução de "Ariel", de Sylvia Plath, realizada por Rodrigo Garcia Lopes e Maria Cristina Lenz de Macedo, pela Editora Verus, é espetacularmente linda. Vale conferir.

"A presente edição brasileira encara com seriedade os problemas de tradução que sua poesia oferece e a refaz num português tão atraente quanto é a apresentação gráfica deste volume, que - reordenando os poemas como a poeta desejara que os publicassem - inclui também seus manuscritos com as respectivas notas e correções".
(Nelson Ascher, Revista BRAVO!)


Esteja dito!


Mendes Júnior.

Um comentário:

tina disse...

Olá, Mendes Júnior.
Sou Maria Cristina, uma das tradutoras de "Ariel".
Amei teu comentário sobre a tradução:"espetacularmente linda"!
Obrigada.
Vou ficar atenta ao lançamento de teu livro. Março, não é?
Muita poesia pra ti.
Meu email: cris.lm@terra.com.br
Abraços.