30 junho, 2007

Caderno de viagem - Brugge


CRÔNICA, 03/01/2007.

Pouco sabíamos a respeito, quando decidimos incluir no nosso roteiro de viagem a cidade de Brugge. Desembarcaríamos em Lisboa numa manhã de verão qualquer e, depois de uma rápida passada pelo Castelo de São Jorge, pegaríamos um vôo baratinho com destino à capital francesa. Após três ou quatro dias sob um forte calor, viajaríamos de carro pela Europa. A programação inicial foi elaborada com relativa antecedência, já que nos parecia ideal conhecer Paris e o que restava de uma outra viagem a Portugal. Nosso dilema era justamente que países ou cidades deveríamos conhecer a partir da França, afinal tínhamos outros vinte e cinco dias pela frente. Éramos cinco indecisos.

Entra Budapeste, sai Budapeste; entra Praga, fica Praga; entra Londres, sai Londres; entra Viena, fica Viena; e assim por diante. Batemos o martelo na questão: não seria correto fugir muita da rota, pois o tempo poderia se transformar num terrível inimigo. Deveríamos, portanto, subir um pouco, partindo de Paris, e depois descer até Roma. E, por essa razão, foram eleitas as cidades de Brugge, Amsterdã, Berlim, Potsdam, Praga, Viena, Milão, Veneza e Roma. E, para transformar a vida ainda mais doce, optamos por trafegar pelas vias secundárias, concedendo-nos a oportunidade indescritível de sentir o gosto das minúsculas e aconchegantes cidades européias.

Mas alguém haveria de perguntar: onde fica exatamente Brugge? Cada um dos cinco-não-mais-indecisos ficou responsável por esmiuçar aquilo que nossas vistas deveriam degustar em cada porto. Bem, essa era a idéia inicial. Brugge, no entanto, não entrara na lista de gaiata; ao contrário, honrada foi a decisão de incluí-la em nosso tour. É simplesmente um lugar maravilhoso de se conhecer e, por certo, de se viver, tanto por seu estilo medieval quanto por sua beleza natural. Brugge é uma pequena cidade belga, situada na região de Fladres, cuja idade, aproximada, é de alguns séculos de história.

Chegamos a Brugge no comecinho da madrugada. Achar o Bauhaus Hotel, onde ficaríamos hospedados, foi fácil, muito embora a recepção fosse dividida com o balcão de uma espécie de pub, difícil mesmo era não ser provocado por uma sensação de que estávamos voltando muitos e muitos anos no tempo, e com razão: Brugge conserva suas construções medievais com um cuidado extraordinário, haja vista a Halletoren, a torre mais importante da cidade – ela fica localizada bem em frente à Praça do Mercado, datada do século XIII, tem oitenta e oito metros de altura. Pode-se chamá-la de “coração da cidade”.

Brugge também é ideal para uma grande paixão. Rodeada de belíssimos canais, um dos programas perfeitos é um passeio de barco. Há quem afirme que o Canal Minnewater conduz a sorte aos apaixonados, quando estes atiram moedas em suas águas, mas para esta questão não temos resposta. A vegetação ao redor dos canais é fantástica para quem aprecia a natureza. É comum planos verdes com frondosas árvores fincadas. Corroborando o amor, há também programas em charretes guiadas por portentosos cavalos. As ruelas parecem se enobrecer com o barulho insistente dos galopes. Outra forma interessante de percorrer Brugge é pedalando – alugar bicicletas é muito comum.

Certamente, quem um dia colocar os pés em Brugge, jamais conseguirá esquecer a emoção. Brugge é uma cidade viva. A nossa vontade era de não arredar dali, mas a viagem deveria prosseguir por caminhos ainda desconhecidos. Assim como os deliciosos chocolates belgas que derreteram em nossas bocas, Brugge nada mais foi do que um sonho.

Mendes Júnior
* Photo by Mendes Júnior.

4 comentários:

Isabela disse...

Agora quero conhecer Brugge!
Bjs

Mariana Sanford disse...

só vc mesmo viu!
Mme senti no local e até ri da situação!

Por falar nela, que situação chata heim!?Andar pela Europa sem destino!!!

beijos

Anônimo disse...

Bonita crônica!
Paula

Anônimo disse...

VIAJAR DEVERIA SER FUNDAMENTAL PARA A VIDA,RESPIRAR OUTROS ARES,CONHECER OUTRAS CULTURAS E SOBRETUDO,SE DEIXAR INVADIR INTEIRAMENTE.GOSTEI PRINCIPALMENTE DA DESCRIÇÃO DOS CHOCOLATES...FIQUEI COM ÁGUA NA BOCA,SÓ FALTOU A CEREJA!!!
BEIJOS....PAULA